Por que uma Igreja? É uma pergunta raramente formulada. É entendimento comum pensar-se que se sabe o que é uma igreja, mas sem visitar os fundamentos que levaram à sua existência nesse mundo.

Por que batista? Da mesma forma, as pessoas simplesmente inferem tratar-se de uma denominaçao, porém nunca procuram saber qual a sua base.

Por que independente? Talvez mais facilmente explicável como sendo definido pela vontade de seus membros, mas dificilmente justificada por quais razões.

Podemos afirmar que todas as respostas estão firmadas na compreensão de princípios bíblicos. Entao vamos a elas:

IGREJA: O Novo Testamento foi escrito na língua grega, e a palavra traduzida como igreja é ekklesia. Formada por dois radicais: “ek” que significa para fora e “klesia” que significa chamados.

Ekklesia tem origem na cidade de Atenas, aproximadamente no ano 500 A.C. e disseminou-se pelas demais cidades-estado da Grécia. Designava a reunião dos cidadãos, chamados para fora de suas casas, para tratarem de assuntos relativos à vida, governo, leis, etc da cidade. Mas só podiam participar dessa assembleia os que fossem realmente cidadãos daquela cidade.

O sentido básico era: uma assembleia convocada para determinado fim.

Cristo utilizou essa palavra quando, durante o seu ministério, organizou a instituição cuja finalidade era a pregação do Evangelho a todos os homens, ensino aos que de bom grado aceitassem e adoração a Deus. Mateus 16: 18 , Mateus 28: 19 e 20 e I Tim. 3:15. Assim, chamados a serem seguidores do Senhor ( João 1: 35 a 51), os primeiros discípulos foram agregados à Igreja como podemos ver em Lucas 6: 12 a 16 e Ef. 4:11. Na sucessão de Igrejas, como elos de uma corrente, verifica-se a mesma mensagem e prática. As cartas de Paulo demonstram como foram sendo organizadas igrejas pela Ásia.

BATISTA: uma alusão ao trabalho executado por João, o batista ( batista não era sobrenome, mas sim identificação à mensagem pregada e ao batismo dos que se arrependessem – Marcos 1: 4 e 5) – O papel de João era preparar ao Senhor um povo bem disposto ( Lucas 1:17). O senhor Jesus inicia o seu ministério pregando a mesma mensagem – Marcos 1: 14 e 15. A Igreja continua guardando essa doutrina, pregando o arrependimento e a fé no Senhor Jesus como único meio de salvação, e batizando os que são salvos. Com o passar dos anos, vários nomes foram sendo dados aos grupos de cristãos fieis, como forma de identifica-los: novacianos, donatistas, anabatistas ( entre outros ) e, nos tempos atuais, batistas.

Cristo prometeu que estaria com sua Igreja até os fins dos séculos, cremos na sucessão de igrejas fieis desde a fundação da igreja primitiva até os nossos dias. Mateus 16:18 e 28:20.

Portanto, não é a denominação que define uma Igreja como sendo de Cristo, mas sim as doutrinas que abraça e defende.

INDEPENDENTE: Cada igreja de Jesus Cristo é autônoma, local e visível. Das 115 vezes em que a palavra Igreja aparece no Novo Testamento, em pelo menos 93 vezes se refere a organizações cuja localidade é mencionada, tais como a Igreja em Jerusalem, em Antioquia da Síria, em Corinto, em Tessalônica, e as igrejas da Galácia. Em Apocalípse Cristo trata particularmente com cada uma das sete igrejas mencionadas. A independência entre as igrejas também é demonstrada em Atos 11: 27 a 30, quando a Igreja em Antioquia voluntariamente envia ajuda à Igreja em Jerusalem.